Arquivo da tag: Romney

Editoriais & Editoriais

Com editoriais estrangeiros ilustrando a matéria assinada por Fernanda Godoy  e publicada n’O Globo de hoje (20/09), “Romney tenta contra-ataque após vídeo”, o diário carioca acaba marcando um gol contra.

 

A matéria fala sobre as tentativas fracassadas dos republicanos de atacar Obama e seu programa de governo, principalmente a iniciativa de distribuição de renda nos EUA (alguém pensou Bolsa Família ?). Em meio aos argumentos contrários aos democratas, Mitt Romney desprezou  a parcela de americanos que recebem ajuda do governo (cerca de 47 %), que em tese seriam decisivos para a virada nas eleições.

 

Para ilustrar a péssima recepção que os comentários causaram na opinião pública de lá, O Globo publicou trechos de alguns editoriais de jornais americanos. Ente eles, o Wall Street Journal, propriedade da News International, conglomerado de Rupert Murdoch. De inclinação claramente republicana, portanto. Fala o editorial: “Um homem tão esperto quanto o ex-presidente da Bain Capital (Romney) pode fazer um discurso melhor sobre impostos e dependência do que o que fez no evento de arrecadação de recursos. Se não pode, vai perder, e vai merecer.”

 

No corpo da matéria, O Globo não se furta a dar sua opinião num mini-editorial, que segue: “Depois de o republicano Mitt Romney cometer a gafe de desprezar a metade do país que supostamente vive de repasses do governo, parece ter aumentado o otimismo de Obama e democratas. Mas até novembro há tempo suficiente para surpresas, contra e a favor de qualquer dos candidatos. Contra Obama conspira uma conjuntura mundial, política e econômica, instável.”

 

A questão não é a tão propalada imparcialidade, pois isso é uma ilusão. A simples emissão de uma opinião configura uma tomada de posição, a escolha de um lado. Isso não impede, contudo, a formulação de uma crítica àquele por quem se é simpático. É tradição na imprensa americana (e européia também) que um veículo declare seu apoio à este ou aquele candidato, ou que tenha essa ou aquela posição política e econômica.

 

O Wall Street Journal, que apóia Romney, faz uma crítica contundente e direta ao candidato republicano. E, de uma certa forma, evidencia uma de suas fraquezas. Claro, pois apoiar não significa fazer campanha para. Nem funcionar como assessoria de imprensa, podando defeitos e ressaltando qualidades.

Já o Globo deixa à mostra uma certa “torcida” por Romney, dizendo que “(…) até novembro há tempo suficiente para surpresas”.  Ora, as pesquisas americanas mostram Obama se distanciando cada vez mais, o que torna mais difícil a virada republicana. Os próprios republicanos não ajudam em relação a isso, mostrando uma inépcia e um despreparo cada dia maior. Somente um escândalo pessoal poderia derrubar Obama. Improvável, portanto.

 

Assumir posições políticas abertamente, sem o jogo de espelhos da imparcialidade e da isenção. Lição Nº 1 para a imprensa brasileira.

Deixe um comentário

Arquivado em Política Internacional